quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Vagões de passageiros do ‘Trem Rio-Minas’ começam a ser transportados para Recreio

14/09/2017 - O Vigilante

Teve início nesta quarta-feira, 13 de setembro, em Vitória (ES), o transporte dos vagões de passageiros do Projeto Trem Turismo Rio-Minas. Uma carreta plataforma iniciou o trajeto com o primeiro vagão e a expectativa é que cheguem na oficina de Recreio nos próximos dias para reparos e manutenções.

Com o apoio de seus voluntários e da Prefeitura Municipal de Recreio, a oficina está sendo toda revitalizada para receber os vagões que realizarão o roteiro do trem de turismo entre Cataguases e Três Rios (RJ), além do segundo percurso de Santo Antônio de Pádua (RJ) e Palma.

A ideia criada pela ONG Amigos do Trem tem o objetivo de reativar o movimento ferroviário na Zona da Mata mineira e no Sul fluminense através do turismo em um trecho de 120 km, passando pelos municípios de Cataguases, Leopoldina, Recreio, Volta Grande, Além Paraíba e Chiador, em Minas e Sapucaia e Três Rios, no Rio de Janeiro. Existe também a possibilidade do projeto atender outro trecho que também conta com Recreio no circuito, este será entre as cidades de Santo Antônio de Pádua (RJ), Palma e Recreio, passando pelo distrito de Angaturama.

De acordo com o presidente da Associação Amigos do Trem, Paulo Henrique do Nascimento (foto), o Trem de Turismo Rio-Minas é um projeto de extrema importância para a região, pois trata-se do desenvolvimento econômico e turístico da Zona da Mata mineira. “Vamos passar por duas áreas de Leopoldina (Vista Alegre e Ribeiro Junqueira), ou seja, Leopoldina está envolvida diretamente e isto irá gerar desenvolvimento do turismo, renda e será um atrativo para que as pessoas possam se deslocar de outras cidades e estados para conhecer a nossa região”, ressaltou Paulo Henrique.

O prefeito de Recreio, Zé Maria Barros, um dos entusiastas do projeto, tem dado total apoio ao Trem Rio Minas e vê na ideia uma ótima oportunidade de alavancar a economia do município e região. Zé Maria ressaltou que o município de Recreio surgiu graças à expansão ferroviária com a Companhia Estrada de Ferro Leopoldina na época imperial do Brasil, no século XIX, a exemplo de outros municípios da região. 

Além da Prefeitura de Recreio, outras prefeituras do trajeto têm estimulado o projeto, assim como o Grupo Mil da Rede de Supermercados Bramil.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Justiça determina que hidrelétrica de RO faça projeto para preservar EFMM

20/03/2017 - G1

O Tribunal Regional da 1ª Região determinou que a Hidrelétrica Santo Antônio, no Rio Madeira, elabore um projeto para recuperação e preservação do patrimônio histórico da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM), em Porto Velho. Conforme a decisão, a usina tem prazo de 60 dias para apresentar o plano e, em caso de descumprimento, a Justiça pede que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) suspenda a licença ambiental do empreendimento.

Conforme a decisão judicial, três projetos devem ser elaborados pela hidrelétrica quanto a recuperação e preservação da EFMM. O primeiro deles é a reativação do percurso da linha da estrada de ferro até Santo Antônio. Já o segundo plano prevê a construção e implantação de um centro de memória dos trabalhadores da EFMM.

Ainda segundo o Tribunal Regional da 1ª Região, a usina também deverá reativar o cemitério das locomotivas, que envolve a restauração, proteção e sinalização turística cultural.

O desenvolvimento dos três projetos por parte da hidrelétrica foi pedido à Justiça pelo Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público de Rondônia (MP-RO).

De acordo com a decisão, depois que a Santo Antônio energia apresentar os projetos, dentro do prazo de 60 dias, a hidrelétrica deve iniciar as obras em 90 dias, com contratação de pessoal e estudos arqueológicos.

Na mesma decisão, a Justiça determinou que o município de Porto Velho retire todas as famílias que residem perto dos trilhos da estrada de ferro. Enquanto isso, a prefeitura de Porto Velho, Governo de Rondônia e a União deverão acompanhar a execução dos projetos de recuperação da EFMM.

Posicionamento

Em nota, a Santo Energia disse que todos os projetos mencionados na decisão judicial já foram elaborados e apresentados aos órgãos competentes. Segundo a hidrelétrica, todas as informações desses projetos serão comprovadas pelo consórcio à Justiça, em um recurso que será interposto contra a decisão.

Leia na íntegra a nota da Santo Antônio Energia (SAE):

​Diante da decisão liminar (“Decisão Liminar”) proferida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (“TRF 1”) nos autos de Agravo de Instrumento oriundo da Ação Civil Pública nº 10239-92.2015.4.01.4100 (“ACP”), a Santo Antônio informa o que segue.

A Decisão Liminar determinou que a Santo Antônio apresentasse, no prazo de 60 dias, determinados Projetos relacionados à Condicionante nº 2.34, “b”, da Licença de Operação da Usina Santo Antônio que dizem respeito, sobretudo, à preservação do patrimônio histórico vinculado à Estrada de Ferro Madeira Mamoré. A Decisão Liminar determinou, ainda, que as obras previstas em tais Projetos tenham início em 90 dias.

A Santo Antônio informa que os Projetos aos quais referida Decisão Liminar faz menção já foram devidamente elaborados e entregues aos órgãos públicos competentes.

Além disso, as obras previstas em tais Projetos ainda não estão em condições de serem iniciadas, pois (i) estão pendentes definições dos órgãos públicos quanto aos locais que abrigariam as obras a serem feitas e (ii) as obras dependem de prévia remoção dos moradores locais, medida de responsabilidade da Prefeitura de Porto Velho ainda não implementada.

Essas informações serão devidamente comprovadas pela SAE no processo judicial, por meio de recurso que será interposto pela Santo Antônio para reforma de referida decisão.

Por fim, é importante esclarecer que a Decisão Liminar não suspendeu a renovação do licenciamento ambiental da Usina Santo Antônio. A Decisão Liminar apenas indica que a renovação deveria ser suspensa pelo IBAMA se a Santo Antônio falhasse em comprovar o início das medidas a serem tomadas para preservação do patrimônio histórico/cultural relacionado à Estrada de Ferro Madeira Mamoré.

O IBAMA, porém, está acompanhando os trabalhos já realizados pela Santo Antônio para cumprimento desta obrigação e está plenamente ciente de que eles tiveram início há muito tempo atrás e de que estão em curso tratativas entre Santo Antônio e os órgãos públicos envolvidos nos trabalhos, especialmente o IPHAN responsável pela fiscalização do cumprimento da referida condicionante.

Litoral Sul discute reativação de trem de passageiros

16/05/2017 - Diário do Litoral

As cidades de Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe, Itariri e Pedro de Toledo iniciam os trâmites para a reativação de transporte de passageiros sobre trilhos e implantação de uma linha turística como a Maria Fumaça, que percorreria os cinco municípios. 

A implantação do sistema foi o principal assunto da reunião temática do Codivar (Consórcio de Desenvolvimento Intermunicipal do Vale do Ribeira e Litoral Sul), que teve a discussão do projeto de turismo regional liderada pelo deputado federal João Paulo Tavares Papa (PSDB), ontem, em Peruíbe. 
O vice-prefeito de Mongaguá, Márcio Melo Gomes (PSDB), o Márcio Cabeça, ficou motivado com a reunião. 

“Desde a época em que eu era vereador defendo essa bandeira. A implantação de um trem turístico vai fortalecer ainda mais o desenvolvimento de nossa região. Nosso próximo passo será conversar com representantes da ALL (América Latina Logística) sobre o assunto.” 

Além do deputado Papa e dos representantes das cinco cidades, o encontro contou com especialistas e integrantes da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF).